terça-feira, 30 de janeiro de 2018

SANTUÁRIO DE JACAREÍ - POSSO FALAR MAL DE UM PADRE?

POSSO FALAR MAL DE UM PADRE? Sabemos que a fofoca é um pecado gravíssimo, a ponto de São Bernardo dizer que os que fofocam possuem o demônio na língua, e os que ouvem o possuem nos ouvidos. Mas e quando a vítima da fofoca é um padre, bispo, e até mesmo o papa? SÃO JOÃO BOSCO diz que dos sacerdotes ou falar bem, ou nada dizer. O CATECISMO, no parágrafo 2477, diz que podemos ferir a reputação de alguém de três maneiras: 1. Juízo temerário: Admitir como verdadeiro, sem prova suficiente, um defeito moral do próximo. 2. Maledicência: Aquele que, sem motivo válido, revela os defeitos e faltas dos outros. 3 Calúnia: Aquele que, mentindo, prejudica a reputação dos outros e dá ocasião a falsos juízos a seu respeito. Agora imagine que tudo isso é AGRAVADO quando feito contra um padre. Motivo? Quando você fala mal de um sacerdote, é como se estivesse fofocando contra O PRÓPRIO CRISTO SÃO JOSEMARIA diz: "O sacerdote - seja quem for - é sempre outro Cristo." (Caminho 66) NO RITO DE SAGRAÇÃO de um bispo, há uma imprecação contra aqueles que falam mal: " Quem falar mal dele seja amaldiçoado; quem dele disser bem seja cumulado de bênçãos!" (Da cerimônia da Sagração Episcopal, em uso no Rito Tridentino). NA BÍBLIA vemos a maldição de Cam, que riu e zombou do seu pai Noé por lhe ver embriagado e despido (Gênesis 9,21-25). De forma semelhante agem aqueles que riem e escarnecem de um padre (que é nosso pai na fé) por seus pecados. SANTA CATARINA DE SIENA: "Eu sei muito bem que muitos se defendem ao declarar: "Eles são tão corruptos, e cometem todo tipo de mal!" Mas, Deus ordenou que mesmo se os padres, os pastores, e o Cristo-na-terra fossem demônios encarnados, deveríamos ser obedientes e sujeitos a eles, não por causa deles, mas por amor e por obediência a Deus." (SCS, p. 222.) SANTO TOMÁS DE AQUINO fala como podemos exortar um sacerdote que porventura caia em erro: "A correção que os súditos aplicarem aos prelados deve ser feita de modo congruente, não o corrigindo com protérvia e dureza, mas com mansidão e reverência." (Sum. Teol. II-II.ª, XXXIII, IV) Se um sacerdote faz algo errado, devemos o repreender? Sim, mas primeiro ocultamente e de forma reverente. Quantos, para expor o erro de um padre, usam de deboche, sarcasmo, irreverência, e até mesmo prazer em falar mal? Só nos é lícito corrigir um sacerdote publicamente quando seu erro pode causar um perigo iminente a fé. Exemplo: Um padre que pronunciasse publicamente que Cristo não é Deus. DE TODA FORMA nada justifica que se despreze, xingue, e falte o respeito com padres e bispos, o que tem se tornado muito comum nas redes sociais. " Que pouca delicadeza de espírito - e que falta de respeito - dirigir gracejos e zombarias ao Sacerdote - seja quem for - sob qualquer pretexto! esse gracejos ao Sacerdote, apesar de todas as circunstâncias que a ti te pareçam atenuantes, são sempre, pelo menos, uma grosseria, uma ordinarice." (Caminho 69-70. São Josemaria Escrivá) colaboração André Santos
Para Marquinhos


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...